Apresentações

Texto: Música, teatro, dança, poesia, circo e artes visuais, em performance e compartilhamento de experiências e saberes. No Bossa Criativa, os holofotes estão sempre acesos para os vários gêneros de manifestações artísticas brasileiras, de diferentes inspirações e com os mais variados sotaques. Confira aqui o nosso cardápio variado, clique e aproveite.

  • Todas
  • Realidades Atuais
  • Teatro
  • Música
  • Artes Integradas
  • Dança
  • Literatura
  • Poesia
  • Festival Arte de Toda Gente
  • Choro
  • Artistas
  • Circo
Joba Rala Coxa

Joba Rala Coxa

Após passar por outras bandas, dar inicio a sua carreira solo no ano de 2008 e já conta com 05 CDs lançados. Atualmente reside na cidade de São Cristóvão na qual junto com a sua parceira de composição Érica Barbozza compôs a música “Canção à Cidade Mãe” em homenagem a primeira capital de Sergipe que… Continuar lendo Joba Rala Coxa

A Grande Encircopédia Virtual: Circo SuperMaster

A Grande Encircopédia Virtual: Circo SuperMaster

O seu proprietário Wallace Barros é a terceira geração circense. Os seus netos já estão indo para a quinta geração. Com mais de 40 anos de vida circense a família foi se apresentando no circo dos pais, até resolverem montar o próprio circo com sua família e seus 5 filhos. Mesmo com material usado, aos poucos foi montando o circo no ferro-velho, herdando uma lona usada dos pais. Em agosto de 2019 estreou com o Circo Super Master. Circulou por 7 meses, até chegar a Pandemia e parar todas as atividades. Estão esperando voltar a normalidade para continuar viajando com o Circo

A Grande Encircopédia Virtual: Circo La Paz

A Grande Encircopédia Virtual: Circo La Paz

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Romero

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Romero

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Premier

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Premier

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Geração 2000

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Geração 2000

Os proprietários são Joaquim Ramos e Maria Rosemeire, fundado em 18 de novembro do ano 2000. O circo está localizado no estado de Sergipe. Com mais de 20 anos de existência, o circo apresenta os números de equilíbrio em arame, corda indiana, contorcionismo, malabares, mágico, mala misteriosa, palhaços, além da cadelinha, que é a mascote… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Geração 2000

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dallas

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dallas

O Circo Dallas surgiu em 1977. Seu fundador é Luiz Milton Lago, o Palhaço Chupeta. Nascido em 1943, em Catu, interior da Bahia, aos 14 anos Luís já trabalhava como locutor de touradas, mas só aos 16 anos, trocou as touradas pelo Circo Pinga Fogo, onde, além de apresentar e fazer os números cômicos, começou… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dallas

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Washington

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Washington

Iniciado pelos tradicionais circenses, ainda viajando em carroça. O Circo Washington, criado pelo patriarca da família, foi em homenagem ao filho que acabava de nascer. O circo circula principalmente pela Bahia, mas já chegou ao Maranhão, Minas Gerais, Sergipe, Alagoas, Pernambuco. Os números principais são pendulo espacial, cesto flutuante, roda alemã, arame, contorção, mágico, táxi… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Washington

A Grande Encircopédia Virtual:  Circo Dark

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dark

Esta família é constituída por 2 famílias tradicionais circenses, segunda e terceira geração de circenses que se encontraram, se casam, tem filhos, constituem uma família e decidem fundar um novo circo, que possuam sua identidade, seus desejos e valores. O circo itinerou por Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Ceará. Apresentando números de palhaço, malabares, arama,… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dark

A Grande Encircopédia Virtual: Circo  Vitória

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Vitória

Com 16 anos de existência, Paulo Messias montou o circo, comprando toda a estrutura com um outro circense. Viajando por Sergipe, Bahia e Alagoas.  Os números circenses são tecido, lira, giro espacial, malabarista. Os números mais engraçados são o homem aranha e o tecido fasoline. Além dos palhaços, que já passaram diversos pelo circo, atualmente… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Vitória

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dharlley

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Dharlley

Islandi Alves, Palhaço Pimpão, é o proprietário e é quarta geração de família circense. Após ficar paraplégico num acidente de carreta, o palhaço já tinha resolvido parar com a vida circense, em 2001. Porém, alguns anos depois, em 2007, o palhaço retoma a vida itinerante junto com sua irmã e cunhado, no Circo Uga-Uga. Com as crianças crescendo, o Palhaço Pimpão resolver montar um novo circo para seus filhos, fundando em 2014 este circo familiar, com muita dificuldade e muita luta. Circulando principalmente na Bahia, pela região da Chapada Diamantina. Com espetáculo tradicional com pendulo, táxi maluco, globo da morte, contorção. Além dos 3 palhaços Cueca, Ketchup e Pimpão, que mesmo na cadeira de roda continua se apresentando. Fato inédito, o grande destaque deste circo é o palhaço da cadeira de rodas. Mesmo com a pandemia, a família circense pretende manter viva a arte e cultura sob a lona.

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Kadoshy

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Kadoshy

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Big Brother

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Big Brother

Responsável pelo circo, Iramar Souza Lima, de 36 anos, comanda uma trupe composta por 15 pessoas, entre artistas, técnicos e agregados, nesta grande família circense.  O Circo surgiu em Minas Gerais, na cidade de Porteirnha, em 2010, portanto com 11 anos de existência. As atrações principais são, o táxi maluco, trapezistas, mulher gato, os malabaristas,… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Big Brother

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Barcelona

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Barcelona

Fundado por Romulo Ferreira Barbalho, conhecido como Palhaço Fura-Fura, já percorreu a Bahia e Minas Gerais, apresentando trapézio, tecido espacial, aro russo, corda indiana, táxi maluco, além das tradicionais esquetes de palhaços. O Circo já está na terceira geração, com os netos do Palhaço Fura-fura comandando o espetáculo, atualmente, com os palhaços Gostosinho, Careca, Xodozinho,… Continuar lendo A Grande Encircopédia Virtual: Circo Barcelona

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Vitória

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Vitória

Com 16 anos de existência, Paulo Messias montou o circo, comprando toda a estrutura com um outro circense. Viajando por Sergipe, Bahia e Alagoas. Os números circenses são tecido, lira, giro espacial, malabarista. Os números mais engraçados são o homem aranha e o tecido fasoline. Além dos palhaços, que já passaram diversos pelo circo, atualmente trabalha com Skatinho e Charmosinho.

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Gilmar Satão)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Gilmar Satão)

O artista Gilmar Satão, Integrante da Organização DF ZULU BREAKER’S, executará uma obra enquanto registra o processo de seu trabalho. Ele também reflete sobre seus vinte anos de estrada com estilo WILD-STYLE, que transformou seus trabalhos em referência para Brasília.

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Rooneyoyo, O Guardião)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Rooneyoyo, O Guardião)

Iniciou sua carreira como dançarino de Breaking na consagrada 24 de maio com Dom José que na época que fazia datilografia, hoje existe uma Pedra com seu nome em homenagem a todos que ali frequentavam, é grafiteiro desde 1985 quando aprendeu a arte com outros artistas na Estação São Bento do Metrô, onde é ponto… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Rooneyoyo, O Guardião)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (R

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (R

O bate papo teve como objetivo apresentar a moda periférica dentro dos pilares da sustentabilidade, que vão além da estética. A moda como um eixo inclusivo nas questões de gênero, raça e ancestralidade, afirmando que a moda é um dos pilares mais importante nos conceitos de sustentabilidade, que facilita a comunicação dos ODS 17, Objetivos… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (R

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Mestre Pê)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Mestre Pê)

Mestre Pê fala sobre sua trajetória e seus trabalhos na cultura Hip Hop em algumas cidades de Minas Gerais. No video, ele fala de suas vivências com a cultura popular e as diversas oralidades. Do calango mineiro, samba enredo, do rap ao Pé de Palavra e os diferentes letramentos nas “décadas de 80,90,2000” e na atualidade. Em sua fala está presente o ritmo, a cadência e o brincar com as palavras utilizando o vocabulário popular mineiro.

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Piá)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Piá)

Vídeo de 30 minutos, onde Piá nos conta o surgimento do Hip Hop gaúcho nos anos 1980, a transição do Rock, Soul, Funk dos anos 70’s para o Break, Rap e R&B relacionando fatos históricos do Rio Grande de Sul. Após a chegada dos açorianos que vieram para povoar as Missões, em função da guerra Guaranítica tiveram que permanecer em Porto Alegre, o abandono das Missões deu oportunidade para o surgimento da produção de charque gaúcha apoiada na mão de obra escrava, essa influência africana deu origem ao Batuque, que influenciou o Samba gaúcho e suas especificidades, dando suporte para criação do Suingue nos anos 70, estilo semelhante ao Samba Rock, até chegarmos na cena Black do Sul. Para contar essa história Piá usa de 3 elementos do Hip Hop, DJ, MC e Conhecimento. Através de Rimas representando o elemento MC, através da música, scratches e colagens, o Elemento DJ e as histórias que serão contadas através de sua produção artística em discos, prêmios, revistas, livros e equipamentos será utilizado o elemento Conhecimento.

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Paulo Ribeiro)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Paulo Ribeiro)

Neste vídeo de 30:52 mostra o lugar de origem do artista Paulo Ribeiro e como começou seus trabalhos de graffiti, toda sua evolução cultural do projeto Vizinhança Cultural. No vídeo o artista apresenta suas técnicas de graffiti com o mural uma viagem a Paraty, onde apresenta um estilo único de filmagem e edição narrando também… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Paulo Ribeiro)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua ( Bala Machine)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua ( Bala Machine)

Nessa apresentação o  B. Boy Bala Machine mostra sua trajetória em criar um método de ensino pra capacitar e incentivar jovens a dar continuidade no universo da cultura urbana, manter a essência da cultura viva compartilhar mais Arte, Amor, Paz, União e Diversão  em projetos Sociais de diferentes comunidades do Rio de Janeiro

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Zane Santos)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Zane Santos)

O vídeo apresenta a arte de Elizane Flávia Santos.  Zane Santos que traz um pouco do trabalho de arte em garrafas de vidro, realizado no Arte do Dia Ateliê. Pra além de tintas e pincéis usa-se neste trabalho diversos tipos de materiais como tecidos africanos, contas, e muito mais.  A arte apresentada em homenagem a Ouro Preto conta a história de Chico Rei, um negro escravizado trazido para o trabalho nas Minas Gerais. O trabalho com as garrafas é realizado a partir das vivências da artista dentro da cultura Hip Hop e Movimento Negro com o objetivo de incentivar o reaproveitamento de material e cuidar da Psique.  Zane Santos é BGirl, Pedagoga, Arte Educadora.

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Guilherme Botelho)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Guilherme Botelho)

Frente às múltiplas manifestações que compõem a cultura Hip Hop Guilherme Botelho propõe uma delimitação no campo musical, o Rap, que se popularizou a partir da década de 1990. Como linguagem musical, o Rap é constituído de três células rítmicas estáveis: bumbo (kick), caixa (snare) e chimbal (hi hat closed/open), que em conjunto formam a… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Guilherme Botelho)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Custom Mask Brazil)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Custom Mask Brazil)

O vídeo apresenta o processo criativo do Projeto Custom Mask Brazil , do artista e empreendedor social Gejo O Maldito .É dividido em 3 partes para um entendimento mais didático e simples ,uma vez que o projeto é direcionado ao público menos favorecido de políticas sociais . na primeira parte o artista se apresenta em… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Custom Mask Brazil)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Vanduarte)

Festival Arte de Toda Gente: Mostra Arte de Rua (Vanduarte)

Neste vídeo Vanduarte conta um pouco da sua trajetória profissional, onde falo sobre o trabalho de sua arte escultura em Madeira e a trajetória no hip hop como B.Boy , fazendo referência à cidade de Olinda – PE.

A contribuição do Romantismo Musical Brasileiro para o Repertório de Orquestra de Cordas Infanto-Juvenil

A contribuição do Romantismo Musical Brasileiro para o Repertório de Orquestra de Cordas Infanto-Juvenil

Neste trabalho serão abordadas algumas obras para o repertório de orquestra de cordas de quatro compositores do período romântico brasileiro (Leopoldo Miguéz, Henrique Oswald, Alberto Nepomuceno e Francisco Braga). As obras foram selecionadas avaliando a possibilidade de execução por uma orquestra de cordas infanto-juvenil. O objetivo deste trabalho é elaborar um material didático para auxiliar… Continuar lendo A contribuição do Romantismo Musical Brasileiro para o Repertório de Orquestra de Cordas Infanto-Juvenil

Festival Arte de Toda Gente: Fernando Sodré

Festival Arte de Toda Gente: Fernando Sodré

O concerto “Fernando Sodré Solo” tem como principal relevância a universalização da viola caipira na musica brasileira. Partindo da inspiração do nome do projeto “Arte de Toda Gente” Sodré selecionou peças que fazem parte da sua história musical e que explora a viola caipira como um instrumento inserido na música instrumental brasileira, abrangendo vários gêneros e estilos. Além de composições próprias, Fernando executa arranjos elaborados e novas versões de clássicos da musica brasileira como Samba do Avião de Tom Jobim, Naquele Tempo de Pixinguinha, Desvairada de Garoto entre outras. Em um repertório que passeia pelo choro, bossa nova, tango, valsas e na essência da música mineira a viola de Sodré leva aos ouvintes uma experiência surpreendente que transcende a ideia da tradicional viola caipira.

Quatorze ritmos brasileiros no bandolim: caderno de estudos e de levadas.

Quatorze ritmos brasileiros no bandolim: caderno de estudos e de levadas.

O vídeo tem como objetivo apresentar em que fase meu projeto se encontra no Programa de Pós Graduação Profissional em Música da UFRJ (PROMUS). O vídeo foi gravado pelo aplicativo ZOOM. Inicialmente apresento o sumário da dissertação e comento cada capítulo, e em seguida apresento o sumário do produto final, que será um ebook, que se encontra em português e inglês. Após expor o sumário da dissertação e do ebook, comento um pouco sobre as entrevistas para a pesquisa, e finalizo o vídeo apresentando um pouco da escrita de alguns ritmos, como baião e uma variação, jongo e uma variação, e choro, acompanhados de vídeos de alunos, e vídeos que gravei usando a metodologia proposta.

Registro Fonográfico de Obras para piano de Octavio Maul

Registro Fonográfico de Obras para piano de Octavio Maul

O vídeo aborda o projeto Registro Fonográfico de Obras de Octavio Maul, que consiste na gravação em CD de peças para piano solo inéditas de Octavio Maul e na realização de uma edição das partituras manuscritas destas peças. Primeiro é apresentado o Sumário da dissertação, que faz parte do trabalho, com uma breve explicação de cada capítulo. Em seguida, é feito um comentário sobre a edição das partituras manuscritas onde é apresentada uma gravação da peça Canção da Saudade de Octavio Maul junto com a visualização da partitura manuscrita lado a lado com a editoração realizada no software Sibelius. A gravação em estúdio é também abordada com a apresentação de um quadro especificando o repertório a ser gravado em cada uma das três sessões de gravação a serem realizadas. Por fim, o autor do projeto interpreta as peças para piano solo Alegria Matinal (gravação retirada da série Clássicos no CEFET, 2020) e Valsa Poética Nº2 de Octavio Maul.

Coral da Escola de Música da Rocinha: um resgate do processo de afinação desenvolvido a partir do repertório.

Coral da Escola de Música da Rocinha: um resgate do processo de afinação desenvolvido a partir do repertório.

Esse trabalho tem como foco o resgate do processo de afinação desenvolvido a partir do repertório em 25 anos de trabalho com o Coral Infantojuvenil da Escola de Música da Rocinha/EMR. Na introdução, apresento um relato do trabalho desenvolvido na Escola (EMR) com foco no Coral Infanto-juvenil e a metodologia adotada.  A seguir, descrevo aspectos… Continuar lendo Coral da Escola de Música da Rocinha: um resgate do processo de afinação desenvolvido a partir do repertório.

Sistematização do ensino de fagote em projetos sociais de música

Sistematização do ensino de fagote em projetos sociais de música

Nesta apresentação procuro mostrar, por meio da explanação da estrutura do sumário da minha dissertação, o andamento da pesquisa e produção de materiais.  A estrutura da dissertação se dá fundamentalmente por temas que interagem entre si na construção de uma possível concepção de ensino-aprendizagem buscando estratégias pouco exploradas e inerentes ao processo, na tentativa de… Continuar lendo Sistematização do ensino de fagote em projetos sociais de música

O fagote inesperado

O fagote inesperado

O vídeo preparado para a VIII Jornada do PROMUS apresenta o sumário da dissertação do meu projeto, intitulado « O fagote inesperado ». Abordo o andamento do trabalho, com a revisão e as remodelações necessárias para se adaptar ao formato virtual, devido ao contexto atual de pandemia. Tal adequação se mostrou um verdadeiro desafio, pois a proposta inicial previa concertos presenciais com a observação da relação entre os músicos e o público durante a apresentação. A opção adotada foi por um formato de vídeo, que poderá ser um documentário único, ou vários vídeos educativos curtos, hospedados num website. Seguindo o roteiro do sumário, detalho as diversas etapas do projeto. Ao final da explicação apresento o vídeo que gravei do arranjo de minha autoria da Mazurca-Choro, da Suíte Popular Brasileira de Heitor Villa-Lobos.

Edição prática dos duos de violino e violino e viola de José Siqueira

Edição prática dos duos de violino e violino e viola de José Siqueira

O vídeo apresenta alguns avanços realizados na pesquisa sobre os duos “Cinco Invenções” para violino e violino e viola de José Siqueira. Tais como: busca de bibliografia sobre música brasileira do século XX, busca de informações sobre Siqueira em antigas publicações de “O GLOBO”, levantamento de aspectos técnicos, sugestões interpretativas do duo de violinos, uma… Continuar lendo Edição prática dos duos de violino e violino e viola de José Siqueira

Dez dobrados de Wilson Fonseca para banda: edição das partituras e registro audiovisual

Dez dobrados de Wilson Fonseca para banda: edição das partituras e registro audiovisual

Essa apresentação tem como objetivo mostrar o andamento do meu projeto de pesquisa do mestrado profissional em música, abordando resumidamente sobre cinco pontos: a elaboração do sumário da dissertação, andamento da editoração  e edição das partituras, ensaios para gravação do produto artístico, dificuldades para agendamento das gravações e uma análise da forma musical de três … Continuar lendo Dez dobrados de Wilson Fonseca para banda: edição das partituras e registro audiovisual

Estratégias de ensino para aulas coletivas de flauta doce

Estratégias de ensino para aulas coletivas de flauta doce

Vídeo contendo slides e gravação com os itens: Capa; Título do Trabalho – Estratégias de ensino para aulas coletivas de flauta doce; Sobre o Projeto – Criar caderno pedagógico que auxilie nas aulas coletivas de flauta doce; Justificativa- Necessidade percebida pela vivência profissional; Sumário do Caderno – Contém as etapas de construção; Uma amostra do Calendário Escolar- Apresentando 3 páginas do calendário ilustradas;  Sumário e status do caderno – Mostra  tabela contendo sumário, atividades e estágio de realização; Sumário e status da dissertação – apresenta  tabela contendo sumário, as atividades  e estágio de realização; Metodologia e cronograma – contém tabela que  demonstra como e em que fase o trabalho está; Muito Obrigada – tela de agradecimento final.

Caderno n° 1 de orientações para o músico que quer arranjar

Caderno n° 1 de orientações para o músico que quer arranjar

Nossa apresentação se inicia com a obra AFRICANDO, composição autoral, com arranjo e regência, gravada com a Orquestra Cosme Galindo. O produto é: Caderno n° 1 de orientações para o músico que quer arranjar. Tem-se como foco principal apresentar uma relação do desenvolvimento harmônico, através de encadeamentos, modulações e distribuição instrumental, com observações sobre os efeitos, ilustrando com exemplos de arranjos e composições próprias. Como recursos, as amostras serão apresentadas através de excertos de gravações e partituras das obras comentadas para a VIII JORNADA PROMUS. O público que se pretende atingir, com o produto final, são músicos com dificuldades de acesso à Universidade.

Ensino e Aprendizagem de Instrumentos de Sopro e Percussão: A Construção do Caderno de Atividades da Oficina da Orquestra Voadora

Ensino e Aprendizagem de Instrumentos de Sopro e Percussão: A Construção do Caderno de Atividades da Oficina da Orquestra Voadora

O vídeo descreve brevemente a proposta e o status atual do trabalho “Ensino e Aprendizagem de Instrumentos de Sopro e Percussão: A Construção do Caderno de Atividades da Oficina da Orquestra Voadora”. Na primeira parte do vídeo, é feito um histórico da Orquestra Voadora e sua oficina de instrumentos musicais. Em seguida, relata-se o impacto do isolamento social devido à pandemia do COVID-19 nas atividades da Orquestra Voadora e nos produtos deste trabalho. A seguir o vídeo analisa o processo de arranjo, ensaios e realização dos videoclipes da música Pernas Voadoras, de minha autoria. São descritos os três produtos propostos por este trabalho. Finalmente é apresentada a estrutura da dissertação, apresentando os tópicos que compõem seu sumário. 

José Ursicino da Silva e a banda de música: revisão, edição e gravação das 3 Suites.

José Ursicino da Silva e a banda de música: revisão, edição e gravação das 3 Suites.

O vídeo se inicia com uma breve apresentação, em seguida um resgate do que foi abordado na jornada anterior. Na oitava jornada (atual) comento um pouco sobre a sistematização do trabalho em si, explicação do sumário, progressão do trabalho, algumas considerações sobre frevo, bibliografia levantada e alguns registros de performance das peças. O vídeo contém dois trechos de peças (Guarany no Frevo e Ravel no Frevo) que foram executados pela Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, em 2014. Faço algumas considerações sobre o uso do programa de editoração utilizado e encerro com a leitura de um trecho do livro “Duda: uma visão nordestina” que se conecta com o propósito da minha pesquisa

Frevendo: Caderno de Frevos para Flauta Doce e Cravo

Frevendo: Caderno de Frevos para Flauta Doce e Cravo

Vídeo contendo slides e gravação com os itens: Capa; Apresentação do aluno; Título do Trabalho – FREVENDO: Caderno de Frevos para Flauta Doce e Cravo; Uma breve história do frevo – Contextualização do assunto tratado; Descrição do Caderno – Explicar no que consiste o caderno; Por que o frevo para a flauta doce? – Explicações técnicas das possibilidades interpretativas do gênero neste instrumento; O andamento do projeto – O que foi feito até o momento; Uma demonstração do produto artístico proposto – Contextualização, orientações para execução e partitura; Sumário da Dissertação – Tudo o que foi pensado pra construção da dissertação; Referências bibliográficas – Uma pequena amostra do que está sendo utilizado; Obrigado! – tela de agradecimento final.

Três atabaques e seis cordas: O conhecimento dos ritmos do candomblé e o desenvolvimento de uma linguagem na guitarra

Três atabaques e seis cordas: O conhecimento dos ritmos do candomblé e o desenvolvimento de uma linguagem na guitarra

A presente pesquisa gira em torno da transposição de ritmos de afro-brasileiros, dos tambores para a guitarra. A tarefa envolve absorver o fraseado dos tambores do candomblé e suas características idiomáticas a fim de representar na guitarra, em composições autorais. No vídeo, é proposta uma divisão entre os conceitos de toque e ritmo. Também são apresentadas e discutidas duas composições. Uma realizada sobre o ijexá, chamada Ijexá da Rua do Norte, e outra sobre aderé, denominada Makweto Blues. Ambos tocados conforme a referência do ogã Lucas Maciel, do Terreiro Ajaguna, na Fazenda Grande do Retiro, em Salvador, Bahia.

O repertório brasileiro de Bidu Sayão

O repertório brasileiro de Bidu Sayão

Apresento o trabalho “O repertório brasileiro de Bidu Sayão” com o sumário, seus capítulos e organização geral. Justifico a escolha pelo repertório nacional e coloco um trecho da entrevista com Lauro Gomes, onde ela canta a capella uma canção do tio Alberto Costa, que estará no projeto em versão posteriormente harmonizada por Hermelindo Castelo Branco. Falo da proposta do roteiro e como está organizada tendo como estrutura a “Jornada do Herói”. Explico como tal se aplicará no roteiro dando como exemplo a canção “A Casinha Pequenina”. Termino com Bidu Sayão cantando, seguido de minha participação.

Estudo da obra de Alberto Nepomuceno para o violoncelo:  Tarantella e Romance

Estudo da obra de Alberto Nepomuceno para o violoncelo: Tarantella e Romance

Neste trabalho apresento alguns tópicos, explicando cada um deles.  Além deles, acrescentei alguns vídeos de demonstrações das obras que são  objeto de pesquisa do projeto, além de um trecho da entrevista que o professor Michael Uhde  ( Universidade de Karlsruhe, Alemanha) aceitou em participar, juntamente com sua filha,  Tatjana Uhde e acompanhado do meu orientador,… Continuar lendo Estudo da obra de Alberto Nepomuceno para o violoncelo: Tarantella e Romance

Francisco Mignone e as “Líricas” em português: estudo de aspectos técnico-musicais e interpretativos

Francisco Mignone e as “Líricas” em português: estudo de aspectos técnico-musicais e interpretativos

A apresentação se inicia com a exposição de uma peça de Mignone gravada por mim para o ingresso no mestrado. Logo, faço uma breve apresentação do meu currículo e um resumo do conteúdo do vídeo. Informo o que se trata o meu trabalho para situar os ouvintes, falo sobre o repertório que está sendo pesquisado… Continuar lendo Francisco Mignone e as “Líricas” em português: estudo de aspectos técnico-musicais e interpretativos

A percussão no Choro: Práticas interpretativas na marimba e investigação sobre expressividade no gênero

A percussão no Choro: Práticas interpretativas na marimba e investigação sobre expressividade no gênero

Nesta apresentação, é abordada a evolução do projeto intitulado “A percussão no Choro: Práticas interpretativas na marimba e investigação sobre expressividade no gênero” até o fim do segundo semestre letivo. Inicia-se com uma breve apresentação do autor e da pesquisa, retomando-se o que foi explanado na Jornada PROMUS VII. Em seguida, é exposto o sumário… Continuar lendo A percussão no Choro: Práticas interpretativas na marimba e investigação sobre expressividade no gênero

Um violino brasileiro: idiomatismo, estilos e perspectivas artísticas

Um violino brasileiro: idiomatismo, estilos e perspectivas artísticas

    O trabalho é a pesquisa de elementos estilísticos e técnicos utilizados por violinistas do panorama atual brasileiro relativos a música brasileira. Serão entrevistados  diversos violinistas  dedicados a esses gêneros de repertório. Estas entrevistas serão registradas em forma de documentário. Ao final do trabalho serão compostos 3 Estudos Intermediários Brasileiros para Violino Solo.    Nesta etapa do… Continuar lendo Um violino brasileiro: idiomatismo, estilos e perspectivas artísticas

Violinistic Challenges of Villa Lobos´ Bachianas Brasileiras 3 and 4: A Proposal for Stylistic-Interpretative and Technical solutions

Violinistic Challenges of Villa Lobos´ Bachianas Brasileiras 3 and 4: A Proposal for Stylistic-Interpretative and Technical solutions

My objective for the Jornada VIII is to present some of the research processes for my dissertation titled Violinistic Challenges of Villa Lobos´ Bachianas Brasileiras 3 and 4: A Proposal for Stylistic-Interpretative and Technical solutions. To begin, my Table of Contents will be presented followed by examples of my research from Chapter´s 3 and 4… Continuar lendo Violinistic Challenges of Villa Lobos´ Bachianas Brasileiras 3 and 4: A Proposal for Stylistic-Interpretative and Technical solutions

Festival Arte de Toda Gente:  Jéssica Soares

Festival Arte de Toda Gente: Jéssica Soares

A violeira Jéssica Soares e o contrabaixista Gabriel Estanislau apresentam um repertório com grande influência da música caipira e da música regional brasileira, dando ênfase a música mineira e com objetivo de pintar esse “ser tão mineiro” e também o “sertão de minas”, através de músicas relacionadas a vida cotidiana do povo que vive da terra e de suas manifestações culturais e religiosas. Essa viagem pelo “ser tão mineiro” será feita com músicas autorais e grandes sucessos de compositores como Almir Sater, Wilson Dias, Sol Bueno, Milton Nascimento e Heitor Villa Lobos.

Festival Arte de Toda Gente: Paulo Freire

Festival Arte de Toda Gente: Paulo Freire

Nesta apresentação especial para o projeto “Arte de Toda Gente”, o violeiro Paulo Freire traz músicas e histórias de seu aprendizado no sertão, mostra a viola de cocho e a de buriti, além de pontear suas próprias composições.

Festival Arte de Toda Gente: Hugo Linns

Festival Arte de Toda Gente: Hugo Linns

Durante oito meses, Hugo Linns criou composições novas, estudou formas de integração de tecnologias audiovisuais e consultou amigos de diversas áreas. Desse processo surgiu Eu futuro do pretérito, o primeiro show solo do artista e no Festival Arte de Toda Gente ele apresenta alguma composições desse trabalho novo. Entendido como uma experimentação sonora, o projeto traz a gravação orgânica de instrumentos (violas, baixo e sampler) – tocados, por vezes, alternadamente; em outros momentos, sobrepostos em camadas musicais A apresentação tem ainda a ideia do próprio tempo verbal que lhe dá o título: o futuro do pretérito do indicativo. Hugo trabalha com essa noção de incerteza, surpresa e indignação, além do encadeamento de ações, uma sendo consequente da outra. Assim acontece com os sons neste espetáculo: um puxa o próximo, que puxa o próximo e, dessa forma, sucessivamente.

Festival Arte de Toda Gente: Dona Jandira

Festival Arte de Toda Gente: Dona Jandira

Dona Jandira apresenta para a Mostra Bossa Criativa o repertório do CD Afinidades, que celebra a magia e sedução de canções que romperam fronteiras e latitudes e atravessaram gerações contagiando o mundo de poesia e emoção. Pérolas coletadas nas telas de cinema, nos palcos, nos bailes, nas rádios… Dos LPs ao Streaming, das TVs em PB ao MP3 e ainda e para sempre…pérolas!

Festival Arte de Toda Gente: Valdir Verona

Festival Arte de Toda Gente: Valdir Verona

Para esta Mostra de Viola de Dedilhada, Valdir Verona selecionou um repertório permeado de temas instrumentais e canções onde o violeiro mostra vários aspectos da cultura do sul ligados à história da viola de 10 cordas. Além das composições autorais com base em ritmos característicos da música do sul – milonga, chamamé, polca missioneira etc. – também fazem parte do repertório, adaptações para toadas de ternos de reis e louvações do Divino Espírito Santo; danças do fandango gaúcho a exemplo da chamarrita e o bugio.

Festival Arte de Toda Gente:  Duo Barroqueando

Festival Arte de Toda Gente: Duo Barroqueando

Apresenta músicas dentro de uma linha interpretativa contemporânea, com um sotaque assumidamente mestiço. Uma das bases para a criação do projeto, é o entendimento de que a música brasileira é o resultado híbrido de diversas influências e diferentes trajetórias musicais.

Festival Arte de Toda Gente: Bárbara Barcelos

Festival Arte de Toda Gente: Bárbara Barcelos

No show Bárbara Barcellos voz e violão, a cantora e compositora apresenta músicas autorais e releituras de clássicos do movimento clube da esquina e da música brasileira em um formato intimista, com arranjos que trazem o estilo próprio e um caráter simplista e aconchegante.

Festival Arte de Toda Gente: Chico Lobo

Festival Arte de Toda Gente: Chico Lobo

No show As Violas de Chico Lobo, o violeiro revisita sua obra, carregada de elementos da cultura popular. Rende homenagem ao seu estilo violeiro tecido nas cidades barrocas e sertões de Minas.  E utiliza quatro violas nas afinações Rio Abaixo e Cebolão.  E desse modo, apresenta toques instrumentais, cantigas e causos que faz desfilar em… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Chico Lobo

Festival Arte de Toda Gente: Christiano Caldas

Festival Arte de Toda Gente: Christiano Caldas

Neste trabalho Christiano Caldas faz uma homenagem à música instrumental mineira e sustenta a narrativa musical sob a perspectiva de um repertório mais melódico, que dialoga com o jazz standard, a bossa nova e suas referências do clube da esquina.

Festival Arte de Toda Gente: Mostra de vídeo poemas

Festival Arte de Toda Gente: Mostra de vídeo poemas

Promovida pela Funarte em parceria com a UFRJ, a mostra apresenta obras de artistas que têm se expressado nessa linguagem, com vídeo poemas de Antônio Cunha (SC), Artur Gomes (RJ), Brenda Mar(que)s Pena (MG), Anand Rao (DF), Edmilson Santini (PE), Jairo Fará (MG), Gil Jorge (SP), Jidduks (PR), Jorge Ventura (RJ), Roberta Tavares (PA), Lilia… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Mostra de vídeo poemas

Festival Arte de Toda Gente: Violeta lara

Festival Arte de Toda Gente: Violeta lara

Em sua apresentação para o festival Arte de toda gente, a cantora e compositora Violeta Lara, natural de Belo Horizonte, traz um show que une sensibilidade e bom gosto. Ao lado de Samy Erick (violão) e Pedro Jet Campos (percussão), Violeta mostra personalidade e nos deixa ver a facilidade com que transita entre compositores renomados… Continuar lendo Festival Arte de Toda Gente: Violeta lara

Afro funk Brasil: Tributo a Armandinho Macedo

Afro funk Brasil: Tributo a Armandinho Macedo

Com o convite da Orquestra Violões do Forte de Copacabana, esse show celebra Armandinho Macedo, rei da guitarra baiana. Com mais de 50 anos de carreira, o guitarrista, bandolinista, compositor e arranjador Armandinho Macêdo, nascido em Salvador – Bahia é conhecido principalmente pela referência dos carnavais de Salvador. Sua entrada no cenário musical aconteceu aos 15 anos de idade.

Afro funk Brasil: Tributo a Antonio Carlos & Jocafi (parte 02)

Afro funk Brasil: Tributo a Antonio Carlos & Jocafi (parte 02)

Na segunda parte do show de Antonio Carlos & Jocafi com a Orquestra Violões do Forte de Copacabana, revisitamos alguns clássicos da carreira do dupla, como “Xamego de Iná” .

Afro funk Brasil: Tributo a Antonio Carlos & Jocafi

Afro funk Brasil: Tributo a Antonio Carlos & Jocafi

Antonio Carlos & Jocafi relembram algumas das suas composições famosas para Os Tincoãs, composições interpretadas por eles como “Quem Vem lá”. Além dos músicos, a apresentação conta a apresentação da Orquestra Instituto Rudá.

Trio Júlio (parte 2)

Trio Júlio (parte 2)

Na segunda parte do show, Trio Julio apresenta três músicas em um show gravado na Casa do Choro, em 2017.

Trio Júlio

Trio Júlio

Trio de música brasileira formado pelos irmãos Magno Júlio (percussão) e os gêmeos: Marlon Júlio (violão 7 cordas) e Maycon Júlio (bandolim), conjuga habilidade e precisão técnica com simpatia, leveza e carisma.

Água de moringa (Parte 2)

Água de moringa (Parte 2)

Na parte dois ouça o choro lento “Saudades do Rio Vouga”, de Paulo Aragão, e o choro “Água corrente”, de autoria de Pedro Paes. Complementa o repertório um clássico do choro, “Migalhas de amor”, de Jacob do Bandolim, em arranjo escrito por Marcílio Lope

Água de Moringa

Água de Moringa

Em junho de 2016 o Água de Moringa apresentou-se na Casa do Choro, mostrando ao público o repertório que estava sendo preparado para aquele que seria seu sétimo CD, em comemoração ao aniversário 30 anos do grupo. Desse repertório, foram selecionadas três composições de um integrante do grupo, o cavaquinhista Jayme Vignoli. “Soprado” e “Batucado”, ambas gravadas no cd “Água de Moringa 30” e o lundu “Xisto, Bahiano e companhia”, ainda inédito em gravações comerciais e que foi estreado justamente nessa ocasião. Todas as três composições têm arranjos escritos pelo próprio compositor.

“Qual a razão de tudo isso, eu sempre penso”

“Qual a razão de tudo isso, eu sempre penso”

A video performance “Qual a razão de tudo isso, eu sempre penso” é um exercício/reflexão sobre a memória e a eternidade. Baseado em um texto próprio escrito em 1986, o ator Julio Adrião e a diretora de fotografia Thaís Grechi constroem um mosaico temporal.

Gilson Peranzzetta e Mauro Senise

Gilson Peranzzetta e Mauro Senise

Neste vídeo, Gilson Peranzzetta e o o flautista e saxofonista Mauro Senise apresentam um repertório instrumental que combina arranjos composições suas com alguns clássicos de nossa música. Tocando juntos há 30 anos, os dois se encontram de forma digital, cada um na sua casa, mas mantendo a mesma sintonia musical.

Linha 74

Linha 74

O assunto da pesquisa e do vídeo fala do artista dançante que envelhece, que, com o passar do tempo, vão perdendo o vigor físico e muitas de suas habilidades, porém, ganhando em expressão e outras formas de comunicação.

Memórias brincantes

Memórias brincantes

Essa série de vídeos se deu a partir dos desdobramentos do produto final para a conclusão da pesquisa intitulada “Memórias Brincantes: Um experimento a partir do corpo e da poética do Maneiro Pau do Mestre Cirilo- Crato/CE” para o Mestrado em Artes do IFCE, sendo um trabalho de criação utilizando três elementos chaves: a memória, o corpo brincante e as matrizes estéticas tradicionais, onde utilizamos a minha casa como espaço cênico, as memórias e histórias dos meus familiares como plano de fundo, como também a contribuição de amigos e artistas que fizeram um exercício de criação a partir do vídeo base do trabalho. Vale ressaltar que os vídeos foram criados no período de isolamento social, fazendo parte de uma reinvenção artística, visto a escassez de equipamentos, como também ás dificuldades desses tempos.

Transcrições Musicais

Transcrições Musicais

Durante o período de isolamento social, o processo de intercâmbio profissional e cultural torna-se cada vez mais relevante. Novas demandas pedagógico-musicais revelam a importância de novos formatos de materiais didáticos acessíveis para todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem on-line. Diante disso, o Projeto Transcrições Musicais tem como objetivo apresentar o novo material didático destinado aos professores e estudantes do Curso de Graduação.

Valéria Correia

Valéria Correia

Um novo formato de aula, virtual e ou em vídeo. Essa ideia é uma contribuição para o trabalho com crianças que nem sempre têm a oportunidade de ter em mãos aparelho celular, tablet e/ou computador naqueles horários já determinados anteriormente pelas instituições e por nós professores e regentes de corais, e que nesse atual momento não é viável.

Ações criativas para virar o tempo

Ações criativas para virar o tempo

O compêndio de seis vídeos, partem do pressuposto que, frente aos desafios impostos pela pandemia, dever-se-á haver modificações substanciais na forma de se vivenciar Arte por parte do grande público. Tal abordagem argumenta que já há demanda para produtos culturais multiformes visto a súbita proibição/controle de acesso a lugares públicos. Dessa forma, em todos os documentos audiovisuais encaminhados, defende-se a ideia de que intensificar o envolvimento com outras disciplinas no intuito de concretizar tais produtos É AÇÃO!

Coletivo Samboclotec

Coletivo Samboclotec

O samba é uma tecnologia ancestral de resistência e, portanto, capaz de configurar em diversos corpos seus modos de existência e elaboração de gestualidades na contemporaneidade. O projeto Samboclotec propõe a criação de partituras corporais inspiradas nas corporeidades e simbologias do Samba de Caboclo, atravessados pelos elementos da natureza para uma leitura contemporânea, poética e tecnológica de vida. Em cada episódio serão relacionados uma energia da natureza, composição coreográfica e como ela dispara possibilidades de configurações estéticas na contemporaneidade, no distanciamento social e quarentena, dentro de casa e seus elementos constitutivos, inseridos no fazer cotidiano e naturalidade dos momentos e ações.

DançAdrinkra

DançAdrinkra

O projeto DançAdrinkra consiste em mostrar algumas células coreográficas e pílulas de vivências de danças populares tradicionais brasileiras, e ainda apresentar parte do processo de pesquisa do mestrado desenvolvido com os símbolos Adinkras.

Seis Brincadeiras Para Aprender Música Em Casa

Seis Brincadeiras Para Aprender Música Em Casa

"Seis Brincadeiras Para Aprender Música Em Casa" é uma série com seis vídeos de cinco minutos cada. Através dela, podemos conhecer as atividades: Bingo Musical, Campo Minado, Futebol Musical, Jogo da Memória, Desenvolvimento Melódico e Contorno Melódico. São jogos que estimulam a percepção auditiva e musical, a expressividade, a criatividade composicional e o conhecimento básico sobre a partitura musical. Além disso, todos podem ser realizados tanto presencialmente quanto à distância.

Teatro é jogo!

Teatro é jogo!

O que faz do teatro, teatro? Longe de apresentar uma resposta fechada à questão, talvez o encontro entre pessoas seja a chave desta arte. Então, o que ocorre quando o encontro não é possível, como numa situação de isolamento social, por exemplo? Vídeo? Talvez.

Monica Mac

Monica Mac

A cantora Monica Mac, apresenta um repertório de sambas selecionados especialmente para o projeto Bossa Criativa, que inclui Dona Ivone Lara, Delcio Carvalho, Paulo César Feital, entre outros.

Viva Ouro Preto VR

Viva Ouro Preto VR

Viva Ouro Preto VR é uma vídeo-experiência que une performance musical, visual e documentário em realidade virtual cinemática (com visão em 360º) para valorizar o Patrimônio Histórico e Cultural da cidade mineira.

Carlos Malta

Carlos Malta

No pocket show Carlos Malta 60 anos, este celebrado multi-instrumentista apresenta algumas de suas composições autorais, que ganharam uma nova paisagem sonora com arranjos feitos especialmente para o Bossa Criativa.

Luciana Rabello

Luciana Rabello

Neste show intimista, a cavaquinista e compositora Luciana Rabello toca algumas das composições da sua carreira.

Pedro Amorim e Pedro Miranda

Pedro Amorim e Pedro Miranda

Pedro Amorim e Pedro Miranda se reúnem em vídeo e conversam sobre suas trajetórias musicais, suas referências e influências, e ilustram o bate-papo cantando juntos algumas músicas de sua própria lavra, além de obras de compositores como Ké Keti, Paulo César Pinheiro e Mauro Duarte.

Renato Vieira

Renato Vieira

O renomado coreógrafo e diretor artístico, Renato Vieira promove um diálogo entre o erudito e o popular, aliando passos e movimentos do balé clássico com a dança contemporânea.

Gilson Peranzzetta e Mauro Senise

Gilson Peranzzetta e Mauro Senise

Neste vídeo Gilson Peranzzetta e o o flautista e saxofonista Mauro Senise apresentam um repertório instrumental que combina arranjos composições suas com alguns clássicos de nossa música. Tocando juntos há 30 anos, os dois se encontram de forma digital, cada um na sua casa, mas mantendo a mesma sintonia musical.

Pará Musical II

Pará Musical II

Acompanhado de seus violões, os compositores paraenses Arthur Nogueira, Márcio Farias e Pedrinho Cavalléro, e o cantor Olivar Barreto apresentam versões exclusivas de suas obras.

Paulo Melo e Andrea Pinheiro (Pará Musical I)

Paulo Melo e Andrea Pinheiro (Pará Musical I)

No pocket show “Pará Musical I”, a cantora Andréa Pinheiro se une ao pianista Paulo José Campos de Melo para interpretar canções de compositores paraenses de diferentes épocas.

Ceumar e Lui Coimbra

Ceumar e Lui Coimbra

O lirismo e o clima bem brasileiro dá o tom do pocket show, destacando as melodias e a poesia da música caipira.

Cátia de França

Cátia de França

Cátia de França é cantora, compositora, multi-instrumentista e escritora. Sua música tem como fonte a literatura, fazendo referências à obra de Guimarães Rosa, José Lins do Rego, Manoel de Barros, além de João Cabral de Melo Neto.

Mano Melo

Mano Melo

Em seu pocket show-recital, Mano Melo combina poesias e histórias, suas e de outros autores, apresentadas com seu estilo próprio e inconfundível.

Mestrinho

Mestrinho

Discípulo de Dominguinhos e de Luiz Gonzaga, o cantor, compositor e sanfoneiro de mão cheia Mestrinho conversa conosco e mostra o seu talento em uma apresentação inspirada.

Cristovão Bastos e Clarisse Grova em homenagem a Aldir Blanc

Cristovão Bastos e Clarisse Grova em homenagem a Aldir Blanc

Parceiro de Aldir Blanc em alguns clássicos da MPB – como as canções Resposta ao Tempo e Suave Veneno – o pianista, compositor e arranjador Cristovão Bastos se juntou à cantora Clarisse Grova para homenagear o amigo, recentemente falecido.

Chico Teixeira e Renato Teixeira

Chico Teixeira e Renato Teixeira

Em seu pocket show, o cantor, compositor e violonista Chico Teixeira apresenta canções e fala de sua carreira. Participação especial de seu pai, Renato Teixeira.

Lucina

Lucina

Com uma carreira que começou na época dos festivais do final dos anos 1960, a cantora, compostora e instrumentista Lucina fala sobre sua trajetória e canta destaques de sua obra

Xangai

Xangai

Xangai faz parte da terceira geração de uma família de violeiros baianos e, hoje, é uma referência no gênero. Em seu pocket show, ele canta e fala de suas origens e inspiração.

Bia Bedran

Bia Bedran

Para seu pocket show, a cantora, atriz e escritora Bia Bedran alterna canções de sua autoria com histórias que, há 35 anos, encantam crianças e educadores. Ela promete um passeio literário-musical por vários ritmos e gêneros musicais com muita poesia e diversão.

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Primavera

A Grande Encircopédia Virtual: Circo Primavera

https://youtu.be/BkQcruXgrjM